Uma praça para Osias Gomes - por Francisco Gil Messias


A Paraíba, sempre rápida em homenagear seus filhos ilustres, demorou apenas vinte e cinco anos para prestar um tributo à memória do grande paraibano Osias Nacre Gomes. Foi dado o seu nome a uma bela praça no Bessa, através de lei de iniciativa do atuante vereador Lucas de Brito, sancionada pelo prefeito Luciano Cartaxo.
    
Era uma dívida que a cidade tinha para com um dos mais importantes pessoenses (e paraibanos) do século XX. Homem que literalmente fez história, porque, ainda jovem, dela participou em relevante função, auxiliando de perto o presidente João Pessoa, nos idos de 1930. Mas ele, longevo, teve tempo e oportunidade para colocar  seus múltiplos talentos a serviço da coletividade, construindo um nome que resiste ao esquecimento nesta terra de pouca memória. Jornalista militante por toda a vida, advogado de renome, secretário de Estado, desembargador, teólogo, professor universitário e escritor reconhecido além dos muros da aldeia. Fico perguntando o que mais faltaria para completar tão vasta biografia, das mais ricas numa Paraíba que, sempre pobre em outros aspectos, costumava esbanjar valores humanos admiráveis.
    
O nome de doutor Osias, por sua trajetória, está profundamente ligado aos de outros paraibanos de escol: além do presidente João Pessoa, já citado, José Américo de Almeida, Oscar de Castro, Celso Mariz, Flósculo da Nóbrega, Monsenhor Pedro Anísio, João Lélis de Luna Freire e José Rafael de Meneses, para lembrar apenas alguns dos seus contemporâneos que lhe foram próximos e dar uma ideia da relevância intelectual de sua geração. Vê-se, portanto, que alguém dessa estirpe tinha de ser lembrado.
    
Sua obra administrativa, jornalística, jurídica e literária é ampla, não dá para tratá-la neste espaço. Tenhamos em conta somente que, por onde passou, ele deixou marcas indeléveis de inteligência e de retidão. Pessoalmente, creio que, de tudo, basta destacar seu romance “Estertor”, obra que vale por uma vida e, sozinha, explica a praça.   
       
Francisco Gil Messias. Procurador Federal.