Estudantes brasileiras terão encontro com Papa Francisco em Jerusalém

Educação

  • Postado dia 26 de Junho de 2017

Na primeira semana de julho, três estudantes do Ensino Médio do Colégio Santa Maria estarão em Jerusalém para um encontro mundial de 50 jovens com o Papa Francisco, que acontecerá entre os dias 2 e 5 de julho. O evento faz parte do Escolas Cidadania, um programa educacional da Scholas Ocurrentes Foundation, que busca promover o rompimento de barreiras sociais, culturais, raciais e econômicas entre estudantes do Ensino Médio de escolas públicas e privadas de diversos países.

No encontro em Jerusalém, o tema central será a busca de novos processos de convivência e harmonia entre israelenses e palestinos. O Colégio Santa Maria será a única instituição a representar o Brasil. No ano passado, a primeira Jornada da Cidadania, realizada em São Paulo, contou com a participação de 20 escolas públicas e privadas, e reuniu 300 estudantes, dos quais, 19 do Santa Maria. Na ocasião, os jovens realizaram uma imersão durante uma semana, buscando diagnóstico e soluções para dois temas: a reforma do ensino e tolerância e diversidade.

Como parte do mesmo programa, no último dia 9, o Papa Francisco conversou com estudantes de oito países através de uma teleconferência. Letícia Mendonça Manso, Camila Baptista Oliveira e Giulia Gerardi Erhardt, as alunas do Santa Maria que estarão em Jerusalém, participaram do encontro virtual. "Ao entrar em contato e estar perto dessas pessoas, nós acabamos nos reconhecendo nelas e, por isso, percebemos que nós jovens compartilhamos as mesmas esperanças, angústias e desejos adolescentes", disse Giulia, que falou pelo grupo brasileiro sobre a experiência na Jornada da Cidadania e as expectativas em relação ao evento de Jerusalém.

Sobre o programa Escolas Cidadania

Scholas Cidadania é um programa educacional da Scholas Occurrentes Foundation (Fundação Escolas de Encontro), que visa promover o compromisso social e o envolvimento jovens com suas próprias experiências e preocupações a fim de produzir mudanças positivas em si mesmos e em suas comunidades. Esta proposta educacional teve origem no programa Escola Vizinhos, criado pelo então arcebispo Jorge Bergoglio de Buenos Aires, que procurou construir pontes entre as diferentes escolas da cidade. O Papa Francisco pediu que o programa fosse realizado em todo o mundo para promover a cultura do encontro entre os jovens, e já está implementado na Espanha, Itália, Paraguai, Haiti, Colômbia, México, Brasil, Emirados Árabes Unidos e Moçambique, atingindo centenas de estudantes em todo o mundo.

A metodologia do Scholas Cidadania tem como pilares artes, jogos e pensamentos. As reuniões de cidadania inter-religiosas visam permitir que os estudantes convivam com respeito e criem um projeto que possa ser estendido para outros.

"Devemos criar uma cultura de encontro. Para fazer isso, nós precisamos de re-educação para recuperar o olhar antropológico e valores humanos essenciais e cobrindo os alunos de realidade vivida. Em outras palavras, uma educação holística e inclusiva." - Papa Francisco em 2015.

Fonte: Da redação (pressreleases.com.br), com Suze Smaniotto Com. Corporativa

Relatar Conteúdo Impróprio ou Comunicar Erro

Indique a um amigo     Imprimir notícia