Vôlei Nestlé continua apostando na nova geração do esporte

Esporte

  • Postado dia 26 de Junho de 2017

 Campeão paulista e medalha de prata na Superliga 20116/17, clube de Osasco renova os contratos da levantadora Gabriela Zeni, de 19 anos, e da ponteira Bruna Neri, de 24. Ação está alinhada ao Programa Global "Nutrindo os Sonhos dos Jovens".

 
Osasco (SP) - Um dos segredos do sucesso do Vôlei Nestlé é mesclar atletas consagradas a promessas da nova geração. Para a temporada 2017/18, essa filosofia segue inalterada e a levantadora Gabriela Zeni, de 20 anos, e a ponteira Bruna Neri, de 24, renovaram contrato. A aposta em jogadoras com potencial para o futuro faz parte do engajamento da equipe no Programa Global "Nutrindo os Sonhos dos Jovens". Lançado pela Nestlé na Europa em 2013, o projeto chegou ao Brasil no final de 2015 e está voltado para a capacitação de jovens para qualificá-los profissionalmente.
 
Aos 19 anos, Gabriela Zeni foi contratada pelo Vôlei Nestlé para a temporada passada. Após um mês de treinos, foi aprovada e teve a oportunidade de aprender com referências no esporte. “Tive duas mentoras excelentes, a Carol Albuquerque e a Dani Lins, e agora chega a Fabíola, outra levantadora campeã olímpica. Conviver com grandes atletas como elas, ainda mais da mesma posição que a minha, é uma oportunidade única para quem está começando, como eu. Tenho certeza que neste ano vou crescer ainda mais, como jogadora e como pessoa”, afirma.
 
A jovem levantadora sabe o que fazer para tirar o máximo proveito da convivência com as campeãs olímpicas da sua posição e demais companheiras de time. “Ao treinar com grandes jogadoras, não é só conversar, mas olhar cada detalhe do que elas fazem dentro e fora de quadra. Estou muito feliz em continuar no Vôlei Nestlé e espero que esta temporada seja ainda melhor que a passada”, garante Zeni, que nasceu em Barueri e começou a jogar com 8 anos. Antes de chegar ao primeiro grande clube, como ela diz, atuou na cidade natal por 9 anos e defendeu o Pinheiros por um ano e meio.
 
Bruna Neri é outra jovem atleta que teve a primeira oportunidade em um clube de tradição no vôlei nacional e internacional na temporada passada. “Defender o Vôlei Nestlé, e conviver com grandes jogadoras, foi muito importante para a minha carreira. Me proporcionou a oportunidade de amadurecimento. Aprendi a ter mais concentração, mais foco. Para este novo ciclo, espero que possamos manter a mesma união do grupo anterior e conseguir resultados ainda melhores nas competições”, afirma a ponteira de 24 anos, natural de Brasília, que começou na AABB/DF, passou pelo Brasília Vôlei e São Caetano.
 
A força das arquibancadas do ginásio José Liberatti é outro fator que impressionou Bruna em seu primeiro ano em Osasco. “Por ser time grande, o Vôlei Nestlé tem muita torcida. Na hora de entrar na quadra é demais e os torcedores fazem muita diferença em cada partida. É muito legal mesmo, pois ganhamos todos os jogos em casa na temporada passada”, lembra a ponteira, que completa. “Temos uma estrutura sensacional e espero que o entrosamento com as meninas que estão chegando seja rápida para partirmos em busca de títulos.”
 
Reforços e renovações – Além da manutenção de Zeni e Bruna Neri, o Vôlei Nestlé já confirmou a contratação da ponteira Mari Paraíba e da levantadora Fabíola e as renovações de contrato com a meio de rede Bia, a ponteira Tandara, a central Nati Martins, a oposta Paula Borgo, a levantadora Carol Albuquerque e a líbero Tássia.
 
Temporada de bons resultados – O time de Osasco manteve-se entre as maiores forças do Brasil na temporada 2016/17. No período, o técnico Luizomar e suas comandadas foram campeões paulistas, semifinalistas da Copa do Brasil 2017 e vice-campeões da Superliga 2016/17. No Mundial de Clubes, o time terminou em sexto lugar.
 
Nutrindo os Sonhos dos Jovens - De olho no futuro e na nova geração do vôlei brasileiro, o Vôlei Nestlé reforçou o DNA de seu projeto ao firmar parceria com o Programa Global "Nutrindo os Sonhos dos Jovens", lançado pela Nestlé na Europa em 2013, e que chegou ao Brasil no final de 2015. A equipe para a temporada 2017/18 deve manter a filosofia de mesclar atletas experientes com jovens, que buscam espaço em um clube tradicional como o Osasco. O programa está voltado para a capacitação de jovens para qualificá-los profissionalmente.

Fonte: Da redação (pressreleases.com.br), com ZDL de Comunicação

Relatar Conteúdo Impróprio ou Comunicar Erro

Indique a um amigo     Imprimir notícia