HelpAlz, App desenvolvido por aprendizes do Instituto Alpha Lumen ajudará pacientes com Alzheimer

Geral

  • Equipe: Débora Augusto Gabriel - 14 anos - 1ºEM, Ana Paula dos Santos Maciel - 16 anos - 2º EM, Larissa Fabião da Fonseca - 15 anos - 1ºEF e Thaís Cerqueira Reis Nakamura - 13 anos - 8º EF.
  • Postado dia 26 de Junho de 2016

App desenvolvido por aprendizes do Instituto Alpha Lumen, de São José dos Campos, participa de concurso promovido pela Universidade de Harvard, nos EUA.
O HelpAlz! traz soluções para problemas reais encontrados no cuidado diário dos portadores da doença de forma inovadora e centralizada. O aplicativo se diferencia por conectar familiares, profissionais, entidades especializadas e por concentrar informações e dicas de especialistas capacitados para auxiliar no tratamento dos pacientes. O aplicativo consegue também conectar os usuários criando assim um ambiente para que possam trocar experiências e proporcionar uma qualidade de vida tanto para portadores do Alzheimer como para as pessoas ao seu entorno. 
 
Não é apenas a pessoa diagnosticada com Alzheimer que sofre as consequências dessa doença que aflige cerca de 1,2 milhão de brasileiros, segundo o Ministério da Saúde. A família também precisa se adaptar para cuidar do doente da melhor forma possível. Com vontade e expertise tecnológica acima da média, quatro jovens aprendizes do IAL - Instituto Alpha Lumen, de São José dos Campos (SP), desenvolveram um aplicativo para ajudar nos cuidados dos portadores da doença, o HelpAlz. A iniciativa, lançada recentemente, rendeu a participação do grupo no concurso Village to Raise a Child, promovido pela Universidade de Harvard, nos EUA.
 
"A ferramenta permite maior acesso à informação para que os acompanhantes dos pacientes, sejam eles familiares ou especialistas, possam cuidar e auxiliar o paciente de maneira simples e eficiente", explica Ana Paula Maciel, 16 anos, que ajudou a desenvolver o app.
 
Além de Ana Paula, integram o grupo Débora Augusto Gabriel, de 14 anos, Larissa Fabião da Fonseca, 15, e Thaís Cerqueira Reis Nakamura, 13 anos. Segundo elas, o aplicativo traz informações para um diagnóstico precoce, diminuindo as chances de descobrir a doença em estágios mais avançados, além de indicar e localizar os melhores profissionais, especialistas e cuidadores.
 
“Queremos ajudar a todas as pessoas que precisam conviver com a doença diariamente e proporcionar, tanto aos pacientes como aos cuidadores, uma melhor qualidade de vida. Existe uma necessidade cada vez maior de obter informações e apoio para o tratamento da doença, já que devido ao aumento da expectativa de vida, o Alzheimer atinge mais pessoas no mundo”, explica Ana Paula.
 
Ensinar pelo exemplo
 
O incentivo para a criação do app surgiu a partir do método de ensino diferenciado que o Instituto Alpha Lumen aplica. Na grade da garotada, por exemplo, existem cursos de programação, robótica, TV, cinema, entre outros, além de uma conexão direta com profissionais especializados, além do apoio de parceiros (universidades, Institutos de pesquisa e empresários). 
 
A ideia de criar um aplicativo para auxiliar no tratamento do Alzheimer surgiu com a convivência que uma das desenvolvedoras possui com uma bisavó que sofre com a doença. Percebemos as dificuldades que a família dela enfrentava diariamente no tratamento da doença e percebemos que poderíamos facilitar e melhorar essa rotina com a criação do HelpAlz!
 
“O IAL trabalha para que os aprendizes se tornem lideranças com perspectivas amplas e com o conhecimento necessário para fazer a diferença em seu entorno e no mundo. Sempre incentivamos o desenvolvimento de projetos que busquem contribuir com soluções para problemas da comunidade e além. Buscamos dar suporte a diversos projetos de jovens e crianças que busquem impactar a sociedade com soluções de baixo custo e de sustentabilidade”, finaliza Nuricel Aguilera, fundadora do Instituto Alpha Lumen.

Fonte: Da redação, com Instituto Alpha Lumen.

Relatar Conteúdo Impróprio ou Comunicar Erro

Indique a um amigo     Imprimir notícia