Venezuela investe na preservação de língua indígena que é patrimônio cultural

  • Postado dia 08 de Dezembro de 2014

A Venezuela quer recuperar as tradições orais indígenas, aproveitando a recente classificação da língua mapoyo como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.
 
O embaixador da Venezuela na Organização das Nações Unidas (ONU) explicou que esse reconhecimento ajuda nos esforços de preservação da língua autóctone, que foi colocada em uma lista de idiomas de “salvaguarda urgente”.
 
A classificação da língua faz parte do esforço do governo de "reivindicar os valores humanos e toda a diversidade cultural" do país, explicou o embaixador.
 
Os índios mapoyo vivem no Sul do país, com 55 famílias (300 pessoas) registradas. Os nativos vivem na zona de Urbana, no estado venezuelano de Bolívar, a sudeste de Caracas, na fronteira com o Brasil.
 
A Constituição da Venezuela contempla, além do castelhano, 34 idiomas indígenas oficiais, entre eles o mapoyo.
 
A língua mapoyo foi identificada no século 19 e aparece em documentos relacionados com lutas de independência locais.

Fonte: Da redação (Justiça em Foco), com Agência Brasil da Agência Lusa

Relatar Conteúdo Impróprio ou Comunicar Erro

Indique a um amigo     Imprimir notícia