Arquiteto paulista vence concurso para projetar sede do Museu da Imagem e do Som

  • Postado dia 05 de Dezembro de 2014

O escritório de arquitetura Silvio Oksman, de São Paulo, foi o ganhador do concurso nacional para escolha do melhor projeto de estudo preliminar para a sede administrativa do Museu da Imagem e do Som (MIS), na Lapa, conhecido como MIS Pro. O concurso foi promovido pela Secretaria estadual de Cultura e organizado pelo Departamento Rio de Janeiro do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB-RJ). O anúncio foi feito hoje (5), e o prêmio, no valor de R$ 50 mil, será entregue no dia 22.
 
No MIS Pro, ficará todo o acervo físico, ou seja, a reserva técnica do museu. O acervo poderá ser acessado também por meio de equipamentos interativos, no prédio do MIS, em construção na Avenida Atlântica, em Copacabana. O acervo inclui uma coleção de 300 mil documentos; 50 mil fotos de profissionais como Augusto Malta  e Guilherme Santos; coleções das cantoras Elizeth Cardoso e Linda Batista e do músico Jacob do Bandolim; 80 mil partituras, algumas originais, da Rádio Nacional, do compositor Pixinguinha e do maestro Guerra Peixe; mais de 60 mil discos, cartazes e cartas, além das roupas e bijuterias da cantora e atriz Carmen Miranda.
 
A coordenadora do concurso, Cêça Guimaraens, vice-presidente de Relações Socioculturais do IAB-RJ, informou que inscreveram-se no concurso 53 escritórios de arquitetura de todo o país, dos quais 29 apresentaram propostas. O segundo e o terceiro lugares ficaram com equipes do Rio de Janeiro, havendo duas menções honrosas para inscritos pelo Rio Grande do Sul e por São Paulo.
 
O projeto vencedor de estudo preliminar resultará, no ano que vem, no projeto executivo da sede do MIS Pro. “A proposta de estudo preliminar já abrange soluções e encaminha diretrizes nesse sentido”. Ele tem consistência técnica, não só no sentido da arquitetura, da espacialidade, mas também do funcionamento do museu”, disse Cêça. A obra deverá totalizar em torno de 4 mil metros quadrados.
 
Conselheiro de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico de São Paulo (Condephaat) e professor universitário, Silvio Oskman disse que o resultado do concurso o deixou muito feliz. Ele destacou que seu escritório de arquitetura tem agora a oportunidade de desenvolver um projeto na Lapa, região que considera importante para toda a população da capital. “Ter o MIS na Lapa é muito importante para o processo de qualificação do espaço urbano, e esse projeto dialoga ainda com a sede, em Copacabana, o que nos deixa muito felizes."
 
A presidenta da Fundação MIS, Rosa Maria Araújo, também manifestou satisfação com o projeto vencedor, que “é simples, elegante, de linhas retas e obedece às regras de conservação que se buscava”. A obra terá seis andares, com controle de luz e temperatura para conservação dos documentos. No térreo, poderão ser feitas exposições ligadas à história cultural da cidade. Segundo ela, o MIS Pro poderá ainda dialogar com outros centros culturais da Lapa.
 
O projeto inclui também um café e uma pequena loja para vender lembranças do museu, além de laboratórios e biblioteca. “Nós estamos muito satisfeitos com o resultado”, enfatizou.

Fonte: Da redação (Justiça em Foco), com Agência Brasil

Relatar Conteúdo Impróprio ou Comunicar Erro

Indique a um amigo     Imprimir notícia