2ª Mostra Latino-Americana de Dança Contemporânea

  • Postado dia 01 de Dezembro de 2014

Companhias latinas de dança contemporânea se apresentam em SP
Treze companhias de dança da Colômbia, do México, da Costa Rica, Bolívia, do Paraguai, Uruguai e da Venezuela se apresentam em São Paulo no mês de dezembro na Dança à Deriva - 2ª Mostra Latino-Americana de Dança Contemporânea. O evento, gratuito, ocorre de hoje (1º) a 8 de dezembro no Centro de Referência da Dança, localizado nos Baixos do Viaduto do Chá, ao lado do Theatro Municipal, no centro da capital.
 
O festival vai receber 25 companhias, coletivos e artistas independentes de dança, sendo 12 deles grupos de São Paulo, da Bahia, do Ceará, de Minas Gerais e do Rio Grande do Sul.
 
De acordo com Solange Borelli, diretora-geral do Dança à Deriva, o evento pretende “agregar inúmeras companhias, coletivos e artistas independentes da dança contemporânea da América Latina”.
 
Segundo ela , a mostra de dança parte do conceito de uma “imersão poética”. “ Essa ideia de agregar é a de provocar uma imersão. Eles [os grupos] não vêm apenas para apresentar e mostrar seus trabalhos: ficam imersos nessa partilha de experiências durante oito dias. Há atividades que ocorrem a partir das 10h30 e se estendem até as 22h30”, explicou a diretora.
 
Além dos 28 espetáculos de dança, o evento conta com intervenções, saraus, fóruns de debate e videodança. Diariamente haverá também workshops pela manhã e um espaço, chamado de Derivas Partilhadas, em que artistas, coreógrafos e diretores se reunirão para uma roda de conversa.
 
A mostra será aberta nesta segunda-feira com o espetáculo Albedo, da Companhia paulistana Maurício de Oliveira e Siameses, que apresenta o personagem Dom Quixote como uma espécie de fio condutor da história, trabalhando com o imaginário e o real. Amanhã (2), um dos destaques é o espetáculo Duo para Dois Perdidos, da paulistana Cia. Dual, baseada no texto teatral de Plínio Marcos Dois Perdidos Numa Noite Suja. A companhia colombiana La Perforadora apresenta o espetáculo Motación, uma composição cênica em que os bailarinos interagem com personagens projetados, recordando momentos clássicos de desenhos animados e videogames antigos. A mostra será encerrada segunda-feira (8) com o espetáculo Um Poema para Carmen, uma homenagem à artista Carmen Miranda apresentada pelo Núcleo de Dança e Performance Marcos Sobrinho.
 
Os espetáculos ocorrem sempre das 18h às 21h e os ingressos podem ser retirados no local com uma hora de antecedência. A programação e mais informações sobre o festival podem ser encontradas na página da mostra na internet.

Fonte: Da redação (Justiça em Foco), com Agência Brasil

Relatar Conteúdo Impróprio ou Comunicar Erro

Indique a um amigo     Imprimir notícia