Festival Recine celebra a dupla relação entre cinema e literatura

  • Postado dia 24 de Novembro de 2014

Depois de homenagear a cidade do Rio de Janeiro, no ano passado, o Festival Internacional de Cinema de Arquivo (Recine) aborda a partir de hoje (24), em sua 13ª edição,  o diálogo entre o cinema e a literatura. Até a próxima sexta-feira (28), o festival realizado anualmente pelo Arquivo Nacional exibe um total de 67 filmes, além de promover debates e oficinas, sempre colocando em pauta a preservação do patrimônio audiovisual brasileiro.
 
Os grandes homenageados desta edição são os cineastas Nelson Pereira dos Santos e Olney São Paulo, que buscaram em seus filmes conjugar a beleza da palavra escrita com a sutileza das imagens. Grito da Terra, filme de Olney São Paulo baseado no livro do mesmo nome de Ciro de Carvalho Leite, foi o escolhido para abrir o festival, às 20h de hoje, no auditório do Arquivo Nacional. Lançado em 1964, o filme está completando o seu cinquentenário.
 
De acordo com a curadora Renata dos Santos Ferreira, a escolha do tema do Recine 2014 se deu a partir da morte, em abril deste ano, do escritor colombiano Gabriel García Márquez. “Ele era um apaixonado pelo cinema e essa relação serviu de base para minha pesquisa. Selecionei 12 escritores brasileiros e latino-americanos com uma ligação muito forte com o cinema, como o próprio García Márquez, Jorge Luiz Borges, Ernesto Sábato, Mario Vargas Llosa,  Jorge Amado e Mario de Andrade. Todos eles, quando não escreviam roteiros,  acompanhavam a adaptação de seus livros para o cinema ou exerceram a crítica cinematográfica”, conta a curadora.
 
Segundo Renata Ferreira, os filmes da mostra informativa do festival revelam, de um lado, a paixão de cineastas pela literatura, e de outro, a paixão de escritores pelo cinema. “Esse é nosso mote”, diz. Já a mostra competitiva, com uma variedade maior de temas, apresenta este ano 20 filmes de produção recente, entre  longas e curtas-metragens, que têm em comum o fato de utilizarem em seu conteúdo pelo menos 40% de imagens ou sons de arquivo.
 
Além das exibições nos auditórios do Arquivo Nacional, o Recine 2014 terá sessões noturnas ao ar livre, no pátio da instituição, com início às 20h, e uma novidade: filmes para o público infantojuvenil, exibidos das 9h às 12h. Fora do prédio do Arquivo, o Recine promove mostras no Cine Arte UFF, em Niterói, na região metropolitana do Rio, e na Escola Técnica Adolpho Bloch, em São Cristóvão, na zona norte da cidade.
 
Na primeira mostra, dedicada a Nelson Pereira dos Santos, serão exibidos oito filmes do cineasta realizados a partir de adaptações literárias. São filmes baseados em obras de Graciliano Ramos (Vidas Secas e Memórias do Carcere), Jorge Amado (Tenda dos Milagres), Guimarães Rosa (A terceira margem do rio) e Machado de Assis (Missa do Galo). Nelson Pereira dos Santos, um dos fundadores do curso de Cinema da Universidade Federal Fluminense (UFF), participará do debate que abre a mostra, às 16h de quinta-feira (17).
 
Já na mostra da Escola Adolpho Bloch, o homenageado é o escritor paraibano Ariano Suassuna, falecido em julho deste ano. A iniciativa da homenagem partiu dos próprios alunos da escola técnica estadual, que oferece cursos profissionalizantes na área audiovisual.
 
As sessões do festival têm entrada franca e a programação completa está disponível no site www.recine.com.br . O Arquivo Nacional fica na Praça da República, 173, no centro do Rio.

Fonte: Da redação (Justiça em Foco), com Agência Brasil

Relatar Conteúdo Impróprio ou Comunicar Erro

Indique a um amigo     Imprimir notícia