Rio de Janeiro lança Rota Turística e Cervejeira que valoriza o produto artesanal

  • Postado dia 18 de Novembro de 2014

O governo fluminense lançou hoje (18) a Rota Turística e Cervejeira do Rio de Janeiro, cujo objetivo, segundo o secretário estadual de Turismo, Cláudio Magnavita,  é “valorizar esse ativo que o Rio tem, porque a cerveja nasceu na região serrana. A primeira cerveja foi a Bohemia e o gene da cerveja no Brasil está no Rio de Janeiro”. A solenidade ocorreu no Palácio Guanabara e contou com a presença do ministro do Turismo, Vinicius Lages, e do governador Luiz Fernando Pezão.
 
A ideia é aproveitar a grande quantidade de fábricas de cerveja de todos os portes que surgiram na região como um  projeto de unificação desse roteiro, que envolve, prioritariamente, as três maiores cidades da região serrana - Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo - além de Cachoeiras de Macacu, Guapimirim e Santa Maria Madalena.
 
Cláudio Magnavita lembrou que hoje, essas cervejarias estão abertas à visitação do público. De acordo com ele, o governo pretende criar “uma unidade que potencialize os atrativos, inclusive históricos,  desses municípios, que eram isolados, e passam a ter uma ação conjunta”.
 
O ministro Vinicius Lages, que visitou recentemente as fábricas de cerveja da região da serra do Estado, disse ter ficado impressionado com a qualidade dos produtos e dos equipamentos. “É uma produção bem diversificada, quase 60 tipos de cerveja. Esse produto turístico de montanha ajuda a diversificar a oferta do Rio de Janeiro, que já produz cerveja de qualidade desde o tempo do Império e se  combina à questão gastronômica, que é muito forte no mundo inteiro”.
 
O secretário Magnavita disse que o grande mote dessa campanha é incentivar a produção artesanal de cerveja. “São mini e pequenas  cervejarias que ganham atenção e se nivelam em um processo de sinergia com as grandes”. Segundo ele, um roteiro desse tipo  estabelece um turismo de experiência, em que as pessoas são estimuladas a acompanhar e participar da fabricação da cerveja, algumas das quais consideradas raras, além de vivenciar um roteiro temático em diversas cidades.
 
A consequência é a geração de emprego e renda, diz ele, além de aumento da arrecadação de impostos para os governos municipais. “O aumento do consumo gera emprego”, explicou Magnavita. Ele citou como exemplo o enoturismo, praticado pelas grandes vinícolas do Sul brasileiro, cuja visitação “consegue gerar, às vezes, mais empregos do que a fabricação industrial em si, que é hoje muito mecânica”. 
 
A Rota Turística e Cervejeira do Rio de Janeiro é iniciada pelas cervejarias da região serrana fluminense. O secretário salientou, porém, que a ideia é ter no futuro um roteiro da cerveja para os municípios litorâneos, como Armação dos Búzios, e para a cerveja do Vale do Café, no centro-sul do Estado.

Fonte: Da redação (Justiça em Foco), com Agência Brasil

Relatar Conteúdo Impróprio ou Comunicar Erro

Indique a um amigo     Imprimir notícia