Mostra destaca a contribuição de Zózimo Bulbul para a cultura negra

  • Postado dia 18 de Novembro de 2014

O ator e cineasta Zózimo Bulbul, que morreu em janeiro de 2013, aos 75 anos, ganha nesta Semana da Consciência Negra  uma exposição em sua homenagem no Centro Cultural Justiça Federal (CCJF), no Rio de Janeiro. A mostra Zózimo Bulbul – Uma Alma Carioca, uma Celebração à Vida e ao Orgulho da Origem Africana, aberta na noite de hoje (18), mostra, em fotos e filmes, a trajetória do artista e de sua contribuição para a afirmação da cultura negra.
 
Zózimo Bulbul foi primeiro ator negro a protagonizar uma novela na televisão brasileira, Vidas em Conflito, na extinta TV Excelsior, em 1969. No cinema, atuou ao longo de 50 anos de carreira em mais de 30 filmes e foi diretor em 12, entre curtas, médias e longas-metragens. Criou o Centro Afro Carioca de Cinema, responsável por um evento anual que promovia a aproximação entre cineastas brasileiros, africanos e caribenhos.
 
“Com esta exposição, eu quero compartilhar com as pessoas  o que ele fez de importante e o enorme amor que ele tinha pela África, tema que fez parte de toda a sua vida”, disse a  curadora Biza Vianna, viúva de Zózimo. Figurinista e cenógrafa, ela criou uma ambientação para a sala principal da exposição, transformada em um set de filmagens, onde serão exibidos ao longo da mostra os filmes dirigidos por Bulbul.
 
A mostra está dividida em quatro segmentos, que acompanham as etapas da vida do artista, sempre tendo como pano de fundo a cidade do Rio de Janeiro: Família e Juventude; Sucesso – o Sonho; Cinema – Dificuldades; e o Centro Afro Carioca de Cinema. Este último segmento destaca a grande realização de Zózimo, que foi a de criar uma ponte com o Continente Africano por meio do cinema. “Ele era muito respeitado pelos cineastas africanos e atuou como ator no filme A Deusa Negra, do diretor nigeriano Ola Belogun, filmado  em 1979”, disse Biza Vianna.
 
A exposição fica em cartaz até 18 de janeiro de 2015 e pode ser visitada de terça-feira a domingo, das 12h às 19h. A entrada é grátis e o Centro Cultural Justiça Federal fica na Avenida Rio Branco, 241, na Cinelândia, centro do Rio

Fonte: Da redação (Justiça em Foco), com Agência Brasil

Relatar Conteúdo Impróprio ou Comunicar Erro

Indique a um amigo     Imprimir notícia