Sabatistas vão esperar o pôr do sol para iniciar o Enem

  • Postado dia 06 de Novembro de 2014

No próximo sábado (8), 69.396 candidatos sabatistas farão o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Os candidatos deverão chegar aos locais de prova com antecedência e, como qualquer outro estudante, ficarão de fora caso os portões sejam fechados. A diferença é que, por motivos religiosos, só começarão a resolver a prova quando o sol se puser. 

 
Eles guardam o sábado por convicção religiosa, o que significa que só trabalham ou estudam após o pôr do sol. São, por exemplo, os adventistas e os judeus. A estudante Thauana Rodrigues, 16 anos, do terceiro ano do Colégio Adventista Milton Afonso, fará o Enem pela segunda vez, já que no ano passado fez a prova como treineira.  “Da última vez, a gente ficou em uma sala mais afastada, só adventistas. Cansa, a gente fica ansioso, esperando o horário, mas não a ponto de atrapalhar a prova”, diz a estudante. “A gente cantou, conversou um pouco, foi interessante”, complementa.
 
Os sabatistas deverão chegar aos locais de prova entre as 12h e as 13h, no horário de Brasília. A prova, no sábado, será aplicada às 19h, também no horário da capital federal. Para os sabatistas que estarão no Acre, em Rondônia, Roraima e no Amazonas, o início será às 19h, no horário local, respeitando o pôr do sol nessas localidades que não adotam o horário de verão. Por causa disso, a espera pode chegar  até a 9 horas.
 
Para aguentar esse tempo, é preciso resistência. “Vou tentar descansar bastante no dia anterior. Uma dica que me deram é não olhar as redes sociais, deixar a mente vazia, nem estudar mais nada”, diz a estudante do terceiro ano Amanda Pereira, 16 anos. Esperar para fazer a prova pode ser “bom, porque descanso um pouco, e ruim, porque é horrível ficar sem fazer nada”, diz.
 
No próximo sábado (8), 69.396 candidatos sabatistas farão o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Os candidatos deverão chegar aos locais de prova com antecedência e, como qualquer outro estudante, ficarão de fora caso os portões sejam fechados. A diferença é que, por motivos religiosos, só começarão a resolver a prova quando o sol se puser. 
 
Eles guardam o sábado por convicção religiosa, o que significa que só trabalham ou estudam após o pôr do sol. São, por exemplo, os adventistas e os judeus. A estudante Thauana Rodrigues, 16 anos, do terceiro ano do Colégio Adventista Milton Afonso, fará o Enem pela segunda vez, já que no ano passado fez a prova como treineira.  “Da última vez, a gente ficou em uma sala mais afastada, só adventistas. Cansa, a gente fica ansioso, esperando o horário, mas não a ponto de atrapalhar a prova”, diz a estudante. “A gente cantou, conversou um pouco, foi interessante”, complementa.
 
Os sabatistas deverão chegar aos locais de prova entre as 12h e as 13h, no horário de Brasília. A prova, no sábado, será aplicada às 19h, também no horário da capital federal. Para os sabatistas que estarão no Acre, em Rondônia, Roraima e no Amazonas, o início será às 19h, no horário local, respeitando o pôr do sol nessas localidades que não adotam o horário de verão. Por causa disso, a espera pode chegar  até a 9 horas.
 
Para aguentar esse tempo, é preciso resistência. “Vou tentar descansar bastante no dia anterior. Uma dica que me deram é não olhar as redes sociais, deixar a mente vazia, nem estudar mais nada”, diz a estudante do terceiro ano Amanda Pereira, 16 anos. Esperar para fazer a prova pode ser “bom, porque descanso um pouco, e ruim, porque é horrível ficar sem fazer nada”, diz.

Fonte: Da redação (Justiça em Foco), com Ag.Brasil.

Relatar Conteúdo Impróprio ou Comunicar Erro

Indique a um amigo     Imprimir notícia