MPF/RJ e Marinha celebram convênio para treinar agentes de proteção a testemunhas

  • Postado dia 29 de Outubro de 2014

Curso começa em 17 de no novembro e terá carga horária total de 120 horas
O Ministério Público Federal no Rio de Janeiro (MPF/RJ) celebrou com a Marinha do Brasil convênio para realização de estágio preparatório para agentes de proteção a vítimas e testemunhas ameaçadas de violência (E-prep-Provita-RJ). Com carga horária de 120 horas, o curso começa em 17 de novembro e termina em 5 de dezembro, sem custos para os participantes. O objetivo é a qualificação, o aperfeiçoamento e a capacitação técnica dos agentes do Programa de Proteção às Testemunhas e Vítimas Ameaçadas (Provita-RJ).
 
O Provita, criado pela Lei nº 9.807/99, é um programa brasileiro que, no Rio de Janeiro, em particular, "ainda está em construção e, nesse sentido, a melhor qualificação das equipes que o executam constitui um passo a mais na melhor estruturação eficiência e efetividade das atividades de proteção à testemunha”, destaca o procurador da República Leonardo Cardoso de Freitas, presidente do Conselho Deliberativo do Programa. 
 
Provita-RJ - Atualmente, o Provita-RJ está estruturado para proteger 50 pessoas, sendo que isso não significa, necessariamente, 50 testemunhas, pois a lei autoriza a entrada não só das testemunhas, como também de todo o núcleo familiar que integrem. Assim, por exemplo, ingressa no programa não só o pai ameaçado, como também sua mulher e seus filhos.
 
"Um dos grandes desafios é o número de vagas para o Provita, que é insuficiente. Outro desafio é a necessidade de estruturar no âmbito estadual uma delegacia de proteção à testemunha, onde aquelas pessoas em situação de ameaça iminente possam ser acolhidas emergencialmente e protegidas de forma eficaz até que os trâmites para o ingresso no programa sejam efetivados”, analisa o procurador.

Fonte: Da redação (Justiça em Foco), com PGR

Relatar Conteúdo Impróprio ou Comunicar Erro

Indique a um amigo     Imprimir notícia