Etiqueta – Poderosa Ferramenta Profissional no Tribunal de Justiça de São Paulo

  • Postado dia 21 de Outubro de 2014

Cláudia Matarazzo fala sobre etiqueta profissional a magistrados e servidores
A jornalista, escritora e apresentadora Cláudia Matarazzo foi a convidada desta terça-feira (21) para falar sobre Etiqueta – Poderosa Ferramenta Profissional no Tribunal de Justiça de São Paulo. O evento, realizado em parceria com a Coordenadoria de Apoio aos Servidores (Caps) e a Escola Judicial dos Servidores (EJUS), reuniu 272 funcionários e magistrados no Fórum João Mendes Júnior e foi transmitido a outros 1.455 participantes em 174 comarcas do Estado via sistema de ensino a distância (EAD).
        
 
A abertura da palestra foi realizada pelo presidente do TJSP, José Renato Nalini. “É uma alegria participar desse encontro com essa verdadeira entidade da elegância que é Cláudia Matarazzo. Ela é generosa, veio partilhar conosco uma experiência magnífica e única. Para nós, que trabalhamos com o público, é importante saber que a nossa conduta e o nosso comportamento é um diferencial na realização da Justiça. Bem-vinda!”, disse.
        
 
Cláudia Matarazzo explicou que nas décadas de 60 e 70 o mundo passou por uma revolução de costumes e por causa disso falar em comportamento era algo inapropriado. “O conceito de etiqueta foi deletado inteiramente. A geração seguinte, ao entrar no mercado de trabalho, não entendia bem essas regras. Isso fez com que na década de 90 os livros de etiquetas começassem a vender loucamente. Devagar, as pessoas começaram a perceber a importância de se expressar visualmente de acordo com o contexto em que vivem”, comentou.
        
 
Ela também destacou que hoje em dia a etiqueta é um diferencial no ambiente profissional. “No dia a dia das relações de trabalho, você precisa ter esse traquejo social, é um mundo muito competitivo. A maioria das pessoas é fluente em inglês e tem bons conhecimentos de informática. O que as diferencia é exatamente essa ferramenta.”
        
 
Ainda de acordo com a palestrante, é preciso usar o tempo de forma inteligente. “Passar rápido as coisas ruins e programar o tempo para curtir mais devagar as coisas boas. Esse tempo é um novo conceito de luxo.” A convidada finalizou explicando as diferenças entre os trajes de festa, como esporte, passeio, passeio completo, black-tie e gala. “Independentemente da festa, é preciso saber interpretar corretamente os trajes que indicam o convite, para evitar constrangimentos”, concluiu.

Fonte: Da redação (Justiça em Foco), com TJSP

Relatar Conteúdo Impróprio ou Comunicar Erro

Indique a um amigo     Imprimir notícia