Henrique Paim defende maior intercâmbio entre empresas e universidades

  • Postado dia 23 de Setembro de 2014

O ministro da Educação, Henrique Paim, defendeu hoje (23) maior intercâmbio entre as universidades e o setor privado, a fim de alavancar a economia por meio da transferência de tecnologia e da inovação. Ele participou do simpósio internacional Excelência em Educação Superior, promovido pela Academia Brasileira de Ciências (ABC), no Rio de Janeiro.
 
Paim destacou as plataformas de conhecimento, instrumentos formatados para criar uma ligação entre a pesquisa acadêmica e as empresas, nos moldes do que já ocorre há muito tempo em países desenvolvidos, incluindo os asiáticos. “Estamos discutindo com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação plataformas de conhecimento, com esse objetivo. Vamos fazer, a partir delas, o casamento entre o mundo produtivo e a universidade. Em determinado setor, vamos verificar quais são as necessidades de desenvolvimento tecnológico para darmos um salto, para agregar valor ao produto e ganhar em competitividade”, disse.
 
Segundo o ministro, o sistema vai verificar, nas universidades, as possíveis soluções desenvolvidas para serem implementadas pelos segmentos comerciais, industriais e de serviços. “Nós estamos verificando, dentro das universidades, a partir dessas encomendas que teremos pelas plataformas de conhecimento, quais laboratórios, quais pesquisadores, podem contribuir para o avanço que nós temos de fazer no desenvolvimento de determinado produto, a partir de uma inovação sendo feita, da empresa junto com a universidade”.
 
Paim explicou que o processo de apoio do governo se dará, entre outras instâncias, por meio da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), criada no ano passado. “Isso já começou. Estamos identificando quais áreas. Temos a Embrapii identificando os laboratórios dentro das instituições de ensino e pesquisa e fazendo o casamento com projetos específicos de empresas, no sentido de dar celeridade a esses processos de inovação. Nós precisamos ter instituições que trabalhem justamente para fomentar isso. Essa plataforma vai permitir essa melhoria”.

Fonte: Da redação (Justiça em Foco), com Agência Brasil

Relatar Conteúdo Impróprio ou Comunicar Erro

Indique a um amigo     Imprimir notícia