Muita gente elogiou a escolha de Taguatinga como subsede do Festival de Brasília

  • Postado dia 19 de Setembro de 2014

A segunda noite de exibição dos filmes que participam das duas mostras competitivas oficiais do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro deste ano ocorreu nessa quinta (18). Em Taguatinga, o público pôde assistir as produções no Teatro da Praça. Muita gente elogiou a escolha do local.
 
O técnico em telecomunicações Odilon Muniz acompanha o Festival todos os anos. Morador da cidade satélite, ele conta que ia sempre ao Cine Brasília, mas com a opção em Taguatinga, ficou mais fácil de acompanhar os filmes. “Fica a três minutos da minha casa. Estou achando maravilhoso ser aqui no Teatro da Praça. A mesma coisa que está ocorrendo no Cine Brasília, está tendo aqui”.
 
O músico Matheus Ribeiro também gostou da oportunidade. Para ele, a ideia de montar uma sala de exibição no local ajuda a difundir o cinema e até formar um novo público. “A maior parte das pessoas que estavam aqui hoje não iria ao Plano Piloto para prestigiar [o festival]. Isso democratiza o acesso”.
 
Sobre o longa-metragem exibido na noite de ontem, Brasil S/A, do diretor Marcelo Pedroso, Matheus disse que o que mais chamou atenção foi o fato da história ser contada sem diálogo. “Eu achei muito interessante. Fala da situação do Brasil, de partes mais desenvolvidas e outras menos. Mostra os contrastes, realmente”, disse sobre a ficção que fechou a noite.
 
Antes do longa, o público acompanhou dois curtas. Sem Coração, de Nara Normande e Tião, foi o primeiro. A educadora e cineclubista Flávia Felipo disse que a história surpreendeu. A paisagem mostrada nas cenas e a maneira como a relação entre os personagens foi construída foram os pontos que mais chamaram a atenção. O filme mostra a história de um menino que, ao passar férias em uma vila pesqueira, conhece uma menina que é chamada de “Sem Coração”. “É uma relação difícil que ela estabelece com a própria cirurgia que fez e com as pessoas. Eu gostei”.
 
Para alguns moradores da região, esse foi o primeiro contato com o tradicional evento. É o caso da estudante Esthefany Caldas. “Adoro esses projetos de cultura. Espero que os jovens venham conhecer. Deveria ter em todas as escolas e mais vezes também”, disse depois de assistir ao segundo curta exibido nesta noite: Crônicas de uma Cidade Inventada, curta-metragem filmado em Brasília pela diretora Luísa Caetano.
 
“Achei bacana. Mostra a realidade de Brasília. Na televisão as pessoas veem de uma forma e, na realidade, é totalmente outra”. Auxiliadora Soares, que também é estudante, foi direto da escola para a exibição e se identificou bastante com o documentário. “Achei muito interessante ver o jardineiro porque eu o conheço de vista. Achei muito legal. Identifiquei-me”.
 
Nesta noite, quem esteve no Teatro da Praça pôde acompanhar outras atividades. Além dos filmes, foi montada uma feira com artesãos locais, além de apresentações de bandas e poetas da região. As atividades podem ser acompanhadas até o fim do festival. Além de Taguatinga, o público de outras cidades do Distrito Federal também assistem às exibições.
 
Para saber da programação, basta acessar o site: http://www.festbrasilia.com.br/

Fonte: Da redação (Justiça em Foco), com Agência Brasil

Relatar Conteúdo Impróprio ou Comunicar Erro

Indique a um amigo     Imprimir notícia