Cerrado: Uma Janela para o Planeta - Exposição no DF retrata a diversidade do bioma Cerrado

  • Postado dia 05 de Setembro de 2014

A exposição Cerrado: Uma Janela para o Planeta, aberta hoje (5) em Brasília, traz, em imagens e ambientes, um pouco da exuberância do segundo maior bioma do Brasil, que vem sofrendo grande pressão de degradação e desmatamento. Ela pode ser visitada no Centro Cultural Banco do Brasil, de 5 de setembro a 19 de outubro. Além da exposição, dividida em três módulos, também serão realizadas oficinas, palestras e uma feira com produtos originários da região, para aproximar o visitante da realidade do Cerrado.
 
“Chapadão de duro. Daí, passamos um rio vadoso – rio de beira baixinha, só buriti ali, os buritis calados. E a flor de caraíba urucuiã – roxo astrazado, um roxo que sobe no céu”. Assim é como o escritor mineiro Guimarães Rosa descreve esse bioma. A obra Grande Sertão: Veredas atravessa toda a cultura do centro geográfico do Brasil, passando pela caatinga, pelos campos e cerrados. A entrada é gratuita, de quarta a segunda-feira, das 9h às 21h.
 
Um dos objetivos da exposição é atrair grupos escolares, para que, desde cedo, as crianças e adolescentes aprendam sobre a importância de conservar o bioma. “A exposição sintetiza muito do conhecimento científico que a gente tem hoje e traduz isso na linguagem para encantar as pessoas. A programação das oficinas foca muito no público jovem, porque a curiosidade impulsiona o conhecimento e ele impulsiona a conservação, daquilo que você admira", disse a coordenadora técnica da exposição e pesquisadora do Departamento de Ecologia da Universidade de Brasília (UnB) Mercedes Bustamante.
 
As formações vegetais que compõem o Cerrado são apresentadas no módulo 1 – Grande Sertão Veredas: Paisagens do Cerrado. No módulo 2 – A Trama do Cerrado: Diversidade – o visitante pode conhecer o conjunto de interações entre os organismos que formam as diferentes paisagens. E o módulo 3 – Os Quatro Elementos: Água, Fogo, Terra e Ar – mostra os fatores e processos que também determinam o funcionamento dos ecossistemas.
 
De curadoria de Jorge Wagensberg, o evento é uma realização do Museu de Ciência e Tecnologia de Brasília, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, da Universidade de Brasília (UnB) e da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), com apoio de várias instituições científicas e ambientais.

Fonte: Da redação (Justiça em Foco), com Agência Brasil

Relatar Conteúdo Impróprio ou Comunicar Erro

Indique a um amigo     Imprimir notícia