Juiz Jayme Garcia divulga projeto de reinserção social pela gastronomia em evento na Dinamarca

  • Postado dia 02 de Setembro de 2014

O juiz assessor da Corregedoria Geral da Justiça Jayme Garcia dos Santos Junior participou, entre os dias 24 e 25/8, da 4ª edição do MAD, o evento gastronômico mais importante da atualidade, realizado em Copenhague (Dinamarca) com a curadoria do chef brasileiro Alex Atala.
         
O MAD (‘alimentar’ em dinamarquês) é uma organização sem fins lucrativos que tem como objetivo constituir uma comunidade de cozinheiros, fornecedores e pensadores, que se reúnem em simpósio anual, com aproximadamente 600 pessoas de todo o mundo, para debater culinária de alto padrão.
         
Jayme Garcia foi ao encontro para divulgar programa desenvolvido nas penitenciárias paulistas que possibilita a reinserção social de reeducandas por meio da gastronomia. Pelo programa – de iniciativa do Judiciário paulista e que conta com importante participação da organização não governamental Gastromotiva (do chef David Hertz) e do Instituto ATÁ, cujo fundador é Alex Atala –, sentenciadas recebem aulas de noções básicas de culinária, postura profissional, ética nas relações interpessoais e cidadania e já formou 62 mulheres desde 2013. “O projeto tem muita relação com o tema deste ano do MAD, que tratava do poder que o trabalho com gastronomia tem de transformar as pessoas, de conseguir uma mudança social”, afirmou o magistrado.
         
Para ele, falar sobre o projeto para chefs de diferentes nacionalidades foi uma experiência única e rendeu bons frutos. “Foi muito bacana conviver com essas pessoas e expor o nosso trabalho. Vários chefs manifestaram desejo de conhecer o programa e visitar o Brasil para ver de perto como ele funciona. Foi uma experiência gratificante”.
         
O critério de seleção para cursar as aulas é falar português e ter direito ao beneficiamento da pena, como o semiaberto. A progressão de regime é condição para que as interessadas complementem o conhecimento adquirido na penitenciária com outro curso, promovido pela Gastromotiva em uma universidade particular em São Paulo. Em cerimônia de diplomação de reeducandas da Penitenciária Feminina da Capital, em agosto, o Governo estadual sinalizou intenção de promover o curso em caráter regular.
         
O assunto foi matéria do caderno Ilustrada, do jornal Folha de São Paulo, publicada no último dia 27.

Fonte: Da redação (Justiça em Foco), com TJSP

Relatar Conteúdo Impróprio ou Comunicar Erro

Indique a um amigo     Imprimir notícia