Membros da Justiça dos EUA e MPF participam de workshop sobre combate ao comércio ilegal de madeira

  • Postado dia 01 de Agosto de 2014

Evento promovido pelo MPF e pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos contou com a participação de agentes de instituições ligadas ao combate da exploração ilegal de madeira
O Ministério Público Federal no Amazonas (MPF/AM) sediou hoje (1º) workshop sobre comércio ilegal de madeira, realizado pelo MPF e pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos, com o objetivo de promover o intercâmbio de experiências entre agentes do governo americano, representantes de empresas privadas e agentes públicos brasileiros, favorecendo as atividades de combate à exploração ilegal de madeira.


Promovido pela Secretaria de Cooperação Jurídica Internacional do MPF em parceria com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos e a Procuradoria da República no Amazonas, o evento contou com a participação de membros e servidores do MPF, magistrados e representantes das Forças Armadas, da Polícia Federal, da Polícia Militar, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio), da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SDS), entre outras instituições que atuam no combate aos crimes ambientais.


A procuradora-chefe do MPF/AM, Tatiana Dornelles, destacou a importância da realização do workshop em Manaus, possibilitando a participação de diversos agentes que atuam no combate do comércio ilegal da madeira no Amazonas. “Um evento deste porte e desta importância em Manaus demonstra o prestígio e o reconhecimento da PR/AM no combate aos ilícitos ambientais e na própria promoção de conservação da Floresta Amazônica, patrimônio nacional, mas que desperta o interesse de todo o mundo”, ressaltou.


O evento realizado hoje é decorrente de workshop ocorrido em Belém, em fevereiro deste ano, quando iniciaram os debates e a apresentação das estratégias utilizadas pelo governo norte-americano para combater esta prática criminosa. O procurador-chefe do MPF no Pará e coordenador do grupo de trabalho de membros do MPF pela sustentabilidade na Amazônia Legal, Daniel Azeredo, afirmou que a proposta foi aprofundar as discussões iniciadas em Belém e ampliar a apresentação de tecnologias utilizadas pelos norte-americanos.


O representante do Departamento de Justiça dos EUA Rocky Piaggione disse que, como continuidade ao trabalho iniciado em Belém, foram apresentados em Manaus os diversos sistemas de rastreamento da madeira e a mais recente tecnologia em identificação de madeiras, utilizada por instituições públicas e pelo setor industrial. Ele destacou que outros países também tem avançado no rastreamento do produto, como é o caso do Peru, que está prestes a implantar um sistema de rastreamento on-line de madeira.


A programação do workshop incluiu apresentação de agentes do governo norte-americano e de representantes de instituições privadas que atuam na identificação e no rastreamento da madeira. Foi realizada também a demonstração do uso de equipamentos utilizados para combater o comércio ilegal de madeira nos Estados Unidos.

Fonte: Da redação (Justiça em Foco), com PGR

Relatar Conteúdo Impróprio ou Comunicar Erro

Indique a um amigo     Imprimir notícia