Dois projetos do MPF são finalistas do Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça

  • Postado dia 17 de Julho de 2014

MPF no Combate ao Trabalho Escravo e Ministério Público pela Educação concorrem ao prêmio anual de comunicação
O Ministério Público Federal (MPF) é finalista em duas categorias do Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça, que premia os melhores trabalhos realizados na área pelas assessorias de comunicação. A solenidade de recebimento do prêmio pelos vencedores será no dia 1º de agosto, no encerramento do 10º Congresso Brasileiro de Comunicação e Justiça (Conbrascom), que será realizado em Aracaju (SE) e tem como tema “Desafios da Comunicação: Avanço Tecnológico x Humanização”.
 
Foram selecionados dois projetos do MPF. O Ministério Público Pela Educação, que concorre na categoria de projeto institucional, e a MPF no Combate ao Trabalho Escravo, que é finalista na categoria de campanha de comunicação. A competição é realizada anualmente pelo Fórum Nacional de Comunicação e Justiça, organização não governamental sem fins lucrativos, fundada pelos assessores de Comunicação do Judiciário, do Ministério Público, Defensorias, OAB, Tribunais de Contas e instituições afins, voltada ao desenvolvimento de debates e ações para aproximar as organizações públicas do cidadão.
 
Projetos:
 
MPF no Combate ao Trabalho Escravo - O projeto MPF no Combate ao Trabalho Escravo surgiu de demanda da 2ª Câmara de Coordenação e Revisão do MPF com o objetivo de conscientizar a sociedade sobre a ocorrência da escravidão contemporânea e mostrar como o trabalho escravo se configura na atualidade. Em parceria com a Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão, a 2ª Câmara lançou a campanha publicitária institucional. A iniciativa pretendeu, também, esclarecer que o MPF atua no combate a este crime e que o cidadão pode procurar a instituição caso tenha conhecimento de alguma irregularidade.
 
A campanha é composta por um comercial de televisão, dois de rádio, cartazes, banners e peças para divulgação em mídias sociais, a campanha foi idealizada em linguagem simples e acessível para que o cidadão em condições análogas à de escravo identifique a prática do crime pelo empregador e denuncie. E serve também para que outras pessoas denunciem casos de trabalhadores submetidos a condições degradantes, jornadas exaustivas, situações de moradia e higiene precárias ou alimentação inadequada. 
 
Todo o material da campanha está reunido no site http://www.trabalhoescravo.mpf.mp.br/, que também traz informações sobre a atuação do Ministério Público Federal.
 
As fotos foram cedidas pela Organização Internacional do Trabalho (fotógrafos Sérgio Carvalho e João Ripper), pelo Ministério Público do Trabalho (PRT/15ª Região) e pela ONG Repórter Brasil. A Comissão Pastoral da Terra é parceira na campanha.
 
Ministério Público pela Educação - O projeto Ministério Público pela Educação – MPEDUC surgiu meio de uma parceria entre o MP Federal e o MP dos Estados em favor da qualidade do ensino básico. Idealizado e coordenado pelo Grupo de Trabalho Educação, ligado à Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão, para atingir seus objetivos o MPEDUC tem entre seus desafios conseguir comunicar-se com seus públicos de interesse. Por isso, a Secretaria de Comunicação Social passou a integrar a equipe do projeto e foi responsável por elaborar e executar o plano de comunicação do MPEDUC. Mostrar que a importância do projeto é do tamanho do Brasil foi um desafio de comunicação.
 
Um site (http://mpeduc.mp.br/mpeduc/www2/index) projetado e integralmente implementado pela Secom serve tanto como ferramenta de divulgação, integração e transparência, quanto de suporte às atividades dos membros do MP que aderem ao projeto. Além disso, é o instrumento utilizado pelas escolas para fornecer informação e para a comunidade escolar verificar se as informações estão corretas. 
 
Comporta conteúdos como notícias e fotos, além do sistema desenvolvido pela Stic para que o MPEduc seja desenvolvido. Além do site, a Secom planejou e desenvolveu campanha institucional, que incluiu uma série de peças com objetivo de mostrar a importância do MPEduc e incentivar o engajamento dos membros. Foram desenvolvidas peças específicas como o convite para o lançamento do MPEduc, um livreto sobre a importância da parceria entre o MPF e o MP dos Estados e um VT testemunhal com membros que já conheciam o trabalho. Outros meios foram escolhidos para aproximar a sociedade do tema, como VT's e spots convidando para as audiências públicas, filipetas e peças para mídias sociais. 

Fonte: Da redação (Justiça em Foco), com PGR

Relatar Conteúdo Impróprio ou Comunicar Erro

Indique a um amigo     Imprimir notícia