Estudantes da USP ocupam reitoria em protesto por eleições diretas

  • Postado dia 02 de Outubro de 2013

 

São Paulo – Um grupo de alunos ocupa a reitoria da Universidade de São Paulo (USP) desde a tarde de ontem (1º), em protesto por eleições diretas para reitor, votação paritária entre as três categorias (alunos, funcionários e professores) e fim da lista tríplice, que confere ao governador a escolha do reitor entre os três mais votados.

Segundo Gustavo Rego, diretor do Diretório Central dos Estudantes (DCE)  a reivindicação para eleições diretas é uma queixa antiga do movimento estudantil. “A USP é uma das únicas universidades do país que não têm mecanismo de consulta direta à comunidade para definir o reitor”, criticou.

Os estudantes reclamam que, pelo atual modelo de eleições, menos de 1% da comunidade universitária participa da escolha para reitor. “Nós queremos que a universidade tenha total autonomia para que não aconteça como ocorreu  nesta atual gestão, na qual o segundo colocado foi nomeado reitor”, disse ele. “Esse é um modelo de eleição para reitor que não leva em conta nenhum princípio democrático, a única coisa que se leva em conta são os acertos políticos dentro da elite política universitária”, acrescentou.

Por meio de nota, a universidade informou que o Conselho Universitário definiu ontem (1º) que o sistema de escolha para reitor deixa de ser feito em dois turnos, e passa a ter somente um turno. Os candidatos a reitor e a vice-reitor também precisarão fazer uma inscrição prévia de suas candidaturas, além de uma consulta à comunidade universitária.

Gustavo disse que as mudanças não atendem às demandas dos estudantes. Eles disseram que vão permanecer na reitoria até que as reivindicações sejam atendidas, acrescentou.

Fonte: Da redação (Justiça em Foco), com ABr./Fernanda Cruz

Relatar Conteúdo Impróprio ou Comunicar Erro

Indique a um amigo     Imprimir notícia