Seminário possibilita troca de experiências internacionais sobre documentação de ditaduras

  • Postado dia 04 de Junho de 2013

Rio de Janeiro – O Seminário Internacional Documentar a Ditadura: Arquivos da Repressão e da Resistência, que começou hoje (4) no Arquivo Nacional, discute a importância da documentação na recuperação de fatos históricos e possibilita a troca de experiências com outros países que também passaram por períodos ditatoriais.

“Enquanto, por exemplo, a Argentina, o Chile e o Paraguai passaram por um processo de transição mais rápido, na década de 90, agora é que nós estamos estabelecendo a nossa Comissão Nacional da Verdade, ou seja, quase 30 anos depois. Então esses países têm um conhecimento todo acumulado nesse processo de como a documentação pode ser importante na recuperação de fatos históricos relevantes”, diz o assistente de coordenação do diretor-geral do Arquivo Nacional para o Centro de Referência Memórias Reveladas, Vicente Rodrigues.

O ex-procurador-geral da República Cláudio Fonteles, membro da Comissão Nacional da Verdade (CNV), que fez a conferência de abertura do evento, destaca que o Arquivo Nacional é a principal fonte de pesquisa dos trabalhos da CNV.

“Nós devemos ter mais de 15 milhões de documentos a serem perquiridos para a reconstrução histórica do acontecido no período do estado ditatorial militar.  O arquivo é a fonte mais límpida e mais enriquecedora para que a gente possa realmente fazer essa reconstrução. E não só a reconstrução do passado para o presente, mas há que se tirar daí toda uma pedagogia, ou seja, que nunca mais nós, brasileiros e brasileiras, vivamos em um estado ditatorial militar”.

Amanhã (5) serão debatidos os temas Arquivos da Repressão e Arquivos da Resistência: Experiências Internacionais, com a participação de pesquisadores da França, Argentina e do Chile; e Arquivos da Ditadura e Acesso à Informação, com participação do diretor-geral do Arquivo Nacional, Jaime Antunes da Silva; e do presidente da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça, Paulo Abrão. Na quinta-feira (6), as mesas-redondas vão tratar dos temas Arquivos dos Movimentos Sociais e Ditadura e Informação, Documento e Arquivo: a Questão da Verdade.

Fonte: Da redação (Justiça em Foco), com ABr./Akemi Nitahara

Relatar Conteúdo Impróprio ou Comunicar Erro

Indique a um amigo     Imprimir notícia